Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ACORDAI! - Acção global, livre e democrática de cidadania

Uma organização de cariz independente que aposta em causas nobres e na política séria e transparente. E que aposta em mudar mentalidades.

ACORDAI! - Acção global, livre e democrática de cidadania

Uma organização de cariz independente que aposta em causas nobres e na política séria e transparente. E que aposta em mudar mentalidades.

10/05/18

Moura Guedes quer que MP investigue Pinto Monteiro por “abafar inquéritos” a Sócrates

A jornalista Manuela Moura Guedes apelou ao Ministério Público (MP) para que abra um inquérito ao comportamento do ex-Procurador-Geral da República Pinto Monteiro por este ter alegadamente “abafado investigações” ao antigo primeiro-ministro José Sócrates.

Manuela Moura Guedes acusou Pinto Monteiro e Cândida Almeida de “terem feito tudo para abafar” os casos que envolviam o antigo primeiro-ministro José Sócrates, que acusou de “controlar a Justiça” e solicitou uma investigação ao MP. 

"José Sócrates conseguiu controlar a Justiça. O Procurador-Geral da República é indicado pelo primeiro-ministro e nomeado pelo Presidente da República. Indicou Pinto Monteiro que tudo fez para abafar os casos complicados de José Sócrates, ele e Cândida Almeida, que estava no DCIAP, com a ajuda de quem estava a investigar em Setúbal o caso Freeport, a inspetora Alice”, disse Manuela Moura Guedes, em entrevista, na quarta-feira, à Edição da Noite da SIC Notícias.

Manuela Moura Guedes disse que “estava o esquema todo montado na Justiça”, salientando que existiam “demasiados casos e demasiados indícios de aldrabices” relacionados com Sócrates e que “o regime esteve em perigo” com o controlo exercido pelo então primeiro-ministro. “Os Procuradores-gerais devem ser o garante da legalidade e devem ser os mais escrutinados”, afirmou.

Manuela Moura Guedes disse ainda “ter medo” de que estivessem a “querer colocar os patins” em Joana Marques Vidal, a atual Procuradora-Geral da República, que, na opinião da jornalista, “tem provado que as coisas com ela são completamente diferentes”.

A jornalista, que ao serviço da TVI investigou vários casos relacionados com José Sócrates, referiu-se ao “amigo [Armando] Vara” e a Ricardo Salgado, ao BCP, à Caixa Geral de Depósitos (CGD) e à comunicação social, defendendo que “tudo o que não era controlado era abafado”.

Sócrates tinha “o controlo da Justiça, do sistema financeiro, com o amigo Vara no BCP e CGD, e no meio empresarial com a PT e Ricardo Salgado, com a comunicação social. O que não estava controlado [por Sócrates] era abafado”, declarou, referindo ser “assustador haver o controlo de tudo e ninguém ter feito nada”.

Esta entrevista surgiu numa altura em que foram denunciados crimes alegadamente cometidos pelo antigo ministro da Economia e Inovação Manuel Pinho (2005-09), no Governo de José Sócrates, que ficou incomodado por dirigentes socialistas o terem também criticado por ter sido acusado de vários crimes na ‘Operação Marquês’, levando a que o ex-primeiro-ministro se desvinculasse do partido.

Na opinião de Manuela Moura Guedes, o caso de Manuel Pinho “serviu de fósforo que ateia a coisa” e o PS teve “provavelmente medo que a coisa rebentasse até às eleições”.

O Jornal Nacional da TVI, às sextas-feiras, foi suspenso em 2009 por decisão da administração da estação televisiva, após uma longa polémica relacionada com investigações em torno do então primeiro-ministro José Sócrates.

O jornal de sexta-feira, que tinha Manuela Moura Guedes como pivô, dava, entre outras notícias, especial ênfase às investigações relacionadas com José Sócrates, nos casos da licenciatura, da Cova da Beira e Freeport, entre outros, o que desencadeou forte polémica com o antigo chefe do Governo, que alegadamente pressionou a administração da TVI para acabar com aquele espaço de informação, sendo conhecidos mais tardes pormenores de conversas do governante para tentar vender a estação de televisão.

OBSERVADOR

MANUELA MOURA GUEDES.jpg

 Foto de JOSE SENA GOULAO/LUSA

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.